Dez erros em e-mails que podem lhe custar o emprego: versão comentada para dummies

1. E-mails enviados sob influência: Por acaso você tomou alguns drinques após o expediente? Salve sua resposta até a manhã seguinte, quando tiver certeza do que estiver dizendo.
Pois é, caso crássico do sujeito que enche a caveira no almoço, volta pro trampo e responde gentilmente a solicitação do chefe com um "Relatório de cú é rola!". A rola, em verdade vos digo, sobra pra ele, na forma natural de um pé-na-bunda...

2. Sarcasmo e humor negro - O e-mail não é um bom meio de comunicar nuances de sarcasmo, e muitas vezes ele pode ser interpretado fora do seu contexto - com repercussões desastrosas.
Também conhecido como "seus colegas são antas iletradas". Pra eles, coçar o saco com a mão dentro do bolso da calça é o máximo de sutileza entendida e nuance é coisa de viado. Se não quiser passar atestado de babaca metido à gostoso intelectual, e por conseqüência ficar ilhado e na merda, poupe-os de ter que pensar para entender seus comentários.

3. Assuntos particulares - É sempre bom separar negócios e prazer - e usar os recursos da empresa para questões pessoais em geral é uma má idéia.
O único que pode ter prazer usando recursos da empresa é seu chefe. E ele terá um enorme prazer em te fuder... Preciso explicar mais ou quer que desenhe?

4. Críticas profissionais - Se for um assunto breve, diga pelo telefone; caso contrário, vai parecer oficial demais e poderá causar uma preocupação desnecessária. Se a questão for realmente grave, discuta-a pessoalmente.
Ou: se tiver que mandar alguém à merda, ou dizer que o dito cujo é um imbecil incompetente, não deixe provas. E-mails nesse sentido, além de desnecessários, atestam a sua co-imbecilidade.

5. Comentários pessoais e fofoca - É comum usar o e-mail como se a gente estivesse conversando na pausa para o cafezinho, mas a tendência é ‘Encaminhar’ esse tipo de e-mail.
Ou seja, sempre tem um babaca a fim de te fuder, mostrando aquele e-mail em que você colou a foto do chefe no corpo da Andreia Albertini pro próprio. Seu consolo é que o baba-ovo vai elogiar o corpão do chefe e vai tomar um ferro junto contigo...

6. Respostas irritadas - É fácil disparar uma resposta irritada sem pensar. Mas nem sempre é fácil retratar-se. O melhor a fazer é analisar um pouco mais o seu e-mail, se possível, ou aguardar um dia antes de responder, se você estiver realmente descontrolado.
Vale o descrito no item 1, substituindo a manguaça pelo ódio cego.

7. Linguagem imprópria - A maioria das pessoas simplesmente não a utiliza, mas para aqueles poucos que o fazem – é uma péssima idéia. Em e-mails profissionais não há lugar para blasfêmias e palavrões.
Tá vendo? Novamente, aquele corno fofoqueiro. Não mande um e-mail dizendo que "o viadinho do gerente fulano, além de corno, não sabe o que pedir... blá, blá, blá, blá". O fofoqueiro de plantão vai mostrar pro chefe. Nesse caso, você se fode sozinho.

8. Segredos comerciais ou assuntos sigilosos da empresa - Esse assunto pode muito bem lhe render um processo judicial e também uma demissão.
Por segredo comercial ou sigiloso da empresa entenda: "dona Evelyn Mariluce do comercial tá soltando a rosca pro patrão!". Basta um e-mail desses prum colega e quem aparece??? O corno do fofoqueiro outra vez! Não tem mais o que fazer, faz o patrão estender o benefício da pica-própria da Dona Evelym pra você!

9. Linguagem racista ou sexista - É melhor evitar esse tipo de coisa em sua fala normal, e muito mais nos seus e-mails profissionais.
Em outras palavras, não diga que a dona Evelyn uma máquina de churros eficiente. Isso pode lhe custar o emprego e uma baita hemorróida profissional...

10. Mensagens excessivamente emocionais - Mesmo que sejam enviadas de fora de seu ambiente de trabalho, lembre-se de que sua imagem está em jogo.
Não banque o Emo em seus e-mails! A próxima vítma pode ser você... Bichona!

Um comentário:

jujuzinha disse...

Agora sim: achei a minha bíblia! encontrei Jesus! hahahahah